quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

.

ouvir
o vir
da nu-
vem:

serena sereia
uivando ao vento:
anunciante do alto mar aporta
a cidade, convida ao lindo naufrágio
quem quer que perceba.

mas aqui não há quem note:
o horário encolheu
o whatsapp vibra no bolso
o facebook urge
o trânsito abafa seu canto
o trabalho suga suas horas
se acaba a bateria
é preciso chegar em casa

e a rota é uma só,
cumprida quase sem perceber,
a sereia nao vai mudar.

ela canta, canta nua
sobre sua nuvem
negra

derruba uma,
duas, três
árvores e postes
até acabar com a luz.

fico a
olhar o
molhar da
mulher

d’água.

Matheus Marins