terça-feira, 26 de agosto de 2014

Rivotril

A linha horizontal da cidade
Parece a linha horizontal do meu cardiograma
Desnivelada de possibilidades
E de relevo previsível
Quanto mais alto
Menos vejo
Mais sinto
Menos relevo
a hora do ônibus
Mais especulo
se alcanço as barcas
sob o compasso do martelo
vizinho
tic sem tac
Com o coração mudo
pra um lugar
de relevo menos agressivo
pra relevar
essa pressa de sempre
ser sempressa

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

assinatura pendente

Entendi o que é a bênção quando tive a luz refletida e macia
Entendi as estrelas, porque tantas
Entendi os amantes, porque tontos.
Entendi Vinícius e Tom, que já devem ter estado ali absortos pela impossível palavra que não se alcança onde já chegamos. Impassível contraditória palavra que não aparece. a acuso e uso todos os meus verbos para tentar de inquantificáveis maneiras te trazer pro meu vocabulário, como naquela festa eu tentava te trazer os olhos aos meus sem enigma. Par de olhos nus na multidão desimportante desde quando eles nus estavam.
Palavra, irresistível vontade de nomeá-la.

Digamos apenas que entendi
a luz vem refletida de um olhar macio e vaga os meus abarrotados olhos
que descobrem enfim e novamente a clareza
de já não haverem visto demais.

sonho

Viver é viajar
E mais que isso, viajar está mais em viver do que na própria viagem.


sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Folheio antigas notas do coração pelo quarto
observo o que tenho e contemplo o cenário.

Penso
Deveria ter anotado a data
Como quem pensa
Sequer anotei a placa
daquele caminhão.

1 de agosto 2014