sábado, 26 de janeiro de 2013

Janeiro

Entāo te beijo até roubar toda a cor da sua boca, todo o seu ar, até te deixar toda branca como um papel vazio. Até você esquecer de todos os outros amores que teve, todos os outros olhares e das dispensas.
Te beijo de uma vez até você pensar que a vida acabou de começar.

E você, enfim, mulher de papel em branco, será a poesia mais bonita que a curva do seu sorriso puder dar.